Novo índice ABCZ (iABCZ) quer aumentar o lucro do pecuarista

Novo índice ABCZ (iABCZ) quer aumentar o lucro do pecuarista

99cc1c9f-9bfb-4d24-bcd1-6836f823cc93.jpg

Publicado no Sumário de Touros 2018 PMGZ/ Geneplus, índice foi estudado e avaliado em parceria com pesquisadores da Embrapa, e identifica a genética mais lucrativa para o rebanho de seleção

 Uma inovação com o foco na produtividade do rebanho nacional. A definição do novo iABCZ é feita por geneticistas da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ) e da Embrapa, que trabalharam em conjunto para a apresentação do Sumário de Touros 2018 PMGZ/ Geneplus. Nesta edição integrada entre as duas mais respeitadas instituições do setor, o índice final aparece com maior ponderação para a característica Stayability (longevidade reprodutiva).

“Essa mudança não foi feita de uma hora para outra. Há dois anos, a ABCZ contratou o maior especialista do mundo, em índice econômico, o americano Dr. Michael MacNeil,. Ele veio para o Brasil, frequentou reuniões conosco aqui na ABCZ, e, utilizando dados do Brasil representativo dos rebanhos da ABCZ, elaborou um índice econômico. Nesta fórmula, a característica que mais se destacou foi a Stayability. Desta forma, a gente readaptou o nosso índice. É uma característica do futuro que tem impacto diretamente no bolso do criador”, justifica o pesquisador e membro do conselho do PMGZ Corte, Fabyano Fonseca (da Universidade Federal de Viçosa).

O pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Luiz Otávio Campos Silva, justifica que, mesmo com as mudanças, o novo iABCZ apresenta uma alta correlação com o índice anterior e o índice da Embrapa. Vale destacar que o novo índice da ABCZ possui peso de 35% para a característica Stayability e, ao mesmo tempo, continua valorizando características que também impactam de forma significativa para um bom resultado genético e, por consequência, financeiro, como peso (à fase materna,  à desmama, ao ano, ao sobreano, e pós-desmama), área de olho de lombo, acabamento de carcaça , idade ao primeiro parto e perímetro escrotal. “Todos os índices econômicos preveem a inclusão da Stayability, porque características reprodutivas são muito importantes para colocar dinheiro no bolso”, completa Luiz Otávio.

O pesquisador (da Embrapa Pecuária Sul) Fernando Cardoso, consultor do PMGZ, explica que a seleção de vacas com maior vida útil vem ganhando espaço cada vez maior entre pesquisas recentes, já que para promoção de uma pecuária lucrativa é necessário que uma vaca “se pague”, incluindo custos de recria e manutenção, com sua própria produção. “A Stayability é a fórmula objetiva da gente ver a longevidade da vaca e a capacidade da vaca produzir um bezerro a cada ano da forma mais eficiente possível. Se a gente pensar que a reprodução é o fator mais importante no sistema produtivo, do ponto de vista econômico, a contribuição da característica para identificação de animais que melhorem a produção comercial e agreguem valor ao sistema produtivos”, define.

José Aurélio Garcia Bergmann (da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG), consultor do PMGZ Corte, destaca que os índices não são estáticos e que devem acompanhar o cenário. “Os índices de seleção não são estáticos. Eles sofrem um processo de modificações à medida que o cenário econômico muda e à medida que a gente tem disponível um maior número de critérios de seleção para serem incluídos neste índice. Houve a inclusão da Stayability, mas o índice no futuro vai sofrer novas alterações, uma delas, já adianto, em minha opinião, é contemplar características, critérios que indiquem a eficiência alimentar dos animais”, afirma.

Vale destacar que o Sumário de Touros 2018 PMGZ/ Geneplus 2018 também inovou com a apresentação de dados genômicos da raça Nelore, o que representou uma grande revolução com uma avaliação mais precisa dos animais.

Apresentação para ACNB. O grupo de geneticistas e pesquisadores envolvidos na reformulação do iABCZ esteve nesta terça-feira (04) na sede da Associação Brasileira dos Criadores do Zebu (ABCZ) em Uberaba (MG) para apresentação dos detalhes aos diretores da Associação de Criadores de Nelore de Brasil (ACNB). A reunião foi acompanhada pela diretoria da ABCZ, incluindo o presidente Arnaldo Manuel de Souza Machado Borges.

“Foi uma reunião madura e importante. Acho que não existe nada igual ao compartilhamento de ações do bem, especialmente quando elas promovem um fortalecimento para o setor”, comemorou o presidente da Nelore, Nabih Amin El Aoua, ao final da reunião.

“A ABCZ chegou ao momento de se preocupar não só com o melhoramento genético dentro das raças POs, mas também com a consequência que um reprodutor PO produz no gado de corte no campo, porque o produto final sempre vai ser produzir um bezerro que tem capacidade de produzir um boi gordo de melhor acabamento e melhor qualidade de carne”, completa Valdecir Marin Júnior, diretor técnico da ABCZ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *