Fazu recebe primeiros animais participantes do TDEA-PNAT 2021

Fazu recebe primeiros animais participantes do TDEA-PNAT 2021

IMG_0769

A Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba) iniciou nesta semana a recepção dos animais participantes do Teste de Desempenho e Eficiência Alimentar do Programa Nacional de Avaliação de Touros Jovens (TDEA-PNAT) da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). A recepção dos animais segue até o dia 20 de abril. O teste, que corresponde a 12ª edição do PNAT, contará com a participação de animais das raças Brahman, Guzerá, Nelore, Nelore Mocho, Sindi e Tabapuã, tendo a participação pela primeira vez da raça Guzerá no TDEA.

“É com muita alegria que iniciamos oficialmente mais uma edição do PNAT. Esse programa tem uma importância muito grande para todo país e para o melhoramento genético do rebanho nacional”, destaca Rivaldo Machado Borges Júnior, presidente da ABCZ.

A Fazu adotou um protocolo sanitário, onde está sendo realizada a desinfecção dos pneus, fiscalização dos motoristas quanto às medidas de segurança e limitação de caminhões no interior do campus.

Os animais estão sendo recepcionados por responsáveis técnicos da Fazu, ABCZ e Hospital Veterinário onde passam por uma inspeção visual minuciosa, visando principalmente a pele (papilomatose) e os cascos (lesões geradas por transporte), além de serem realizados registros de imagens dos animais para acompanhamento.

Após a recepção, os animais são alojados nos currais de confinamento, com livre acesso à água de qualidade e silagem de milho. Nos primeiros dias são observados o comportamento digestivo dos animais, sua adaptação ao novo ambiente e à nova hierarquia de grupo.

Finalizada a etapa de recepção, eles passarão pelos manejos de pesagem e identificação, além do controle de endo e ectoparasitas e vacinação. A partir desta etapa, os animais serão divididos por raça, idade e peso e entrarão em período de adaptação, com duração de 21 dias.

Nesta edição, a prova conta com quatro estagiários bolsistas, além dos alunos voluntários. “O Teste de Desempenho e Eficiência Alimentar permite a vivência prática dos alunos que têm a oportunidade de acompanharem todas as etapas do processo, desde o manejo de recepção até a divulgação do resultado oficial. Além disso, eles estão sempre em contato com técnicos, criadores e outros profissionais das ciências agrárias, sendo um importante momento para networking e aprendizado”, destaca a professora Dra. Juliana Jorge Paschoal, coordenadora do TDEA-PNAT.

Ao final do teste, os touros que apresentam índice final superior à média de sua classe são classificados para a 3ª fase, quando são submetidos a análise e aprovação de dois grupos: criadores participantes do PMGZ e técnicos da área de ciências agrárias e técnicos da ABCZ presentes na ExpoGenética. Os touros classificados pelo PNAT ficam à disposição das centrais de inseminação para coleta e distribuição de no mínimo 600 doses para os rebanhos colaboradores, sendo esta a 4ª fase.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *